Pesquisa identifica o perfil do eleitor brasileiro conectado

O aumento de eleitores que se identificam com partidos de direita e redução no número de eleitores que afirmam utilizar jornais e revistas como fonte de informação são alguns dados apresentados pela pesquisa.

Realizada a cada dois anos, a pesquisa O QUE O ELEITOR CONECTADO QUER da Presença Online, teve sua primeira versão nas eleições de 2014. Desde então, a cada período eleitoral, a escola de marketing digital busca compreender a formação discursiva e simbólica dos eleitores brasileiros conectados.

Segundo Maíra Moraes, responsável técnica da pesquisa, “passados quatro anos, muita coisa mudou no uso de internet não apenas nas eleições, mas também nas estratégias de comunicação política e no próprio comportamento de consumo de conteúdo do eleitor. A pesquisa tem como objeto a produção de alguns indicadores que contribuem para compreensão não apenas do ambiente digital, mas de quem faz parte dele”.

Consumo de conteúdo digital

Quando perguntados sobre quais canais utilizam para se informar sobre candidatos durante a campanha eleitoral, 97% dos eleitores conectados afirmam que a internet é uma fonte de informação. Canais como televisão, jornais e amigos reduziram sua influência comparados com 2016. De 65% em 2016 para 52% em 2018, no caso da televisão. Os jornais passaram de 54% para 36% e os amigos de 33% para 27%.

Marcelo Vitorino, especialista em marketing digital político eleitoral, afirma que “é importante ponderar esses dados considerando que hoje a diferença entre televisão e internet muitas vezes é o tamanho da tela. Também há consumo de produção televisiva na internet e nem sempre o eleitor diferencia isso”.

Financiamento de campanha

Com a proibição da doação de empresas para campanhas eleitorais, muitos candidatos e partidos estão recorrendo à doação de pessoas físicas, o crowdfunding na campanha.

“Alguns consideram pequeno um número de 23% de eleitores dispostos a doar, mas é um resultado positivo quando comparamos com as eleições anteriores em que apenas 11% afirmaram disposição em contribuir financeiramente com o candidato ou partido. Para complementar, a rejeição à doação diminuir de 74% para 63%, mostrando um cenário positivo inclusive para os próximos pleitos”, complete Marcelo Vitorino.

Resultado 2018 está disponível para download

A pesquisa O que o eleitor conectado quer é realizada durante o período pré-eleitoral pela Presença Online, escola de marketing digital, responsável pela elaboração do questionário e produção do conteúdo, em parceria com a Vitorino&Mendonça, empresa especializada em estratégias políticas e eleitorais, responsável pela análise e comentário de dados; e o GERP, instituto de pesquisa, que ficou à frente do plano amostral e cruzamento de dados.

Os interessados podem fazer download gratuito do material no site http://marketingpolitico2018.com.br/.

Saiba mais sobre a Pesquisa O que o eleitor conectado quer

Edição 2014 – O que o eleitor conectado quer

Edição 2016 – O que o eleitor conectado quer

Maíra Moraes

Maíra Moraes

Flipboard

Doutoranda em Comunicação e Sociedade na Universidade de Brasília (UnB), pesquisa as relações de poder implicadas no processo de produção de notícias e como as realidades são construídas por meio de narrativas e práticas dominantes. É gerente de projetos certificada PMP®, especializando-se na implementação de metodologias híbridas (presencial e a distância) de educação em redes públicas estaduais e municipais.

leia mais

Mais artigos do autor:

Leia mais

02 de julho de 2018

Maíra Moraes

Pesquisa realizada pela Presença Online identifica o perfil do eleitor conectado brasileiro, seu comportamento de consumo de conteúdo digital e perfil partidário.

Marcelo Vitorino Leia mais

19 de janeiro de 2018

Maíra Moraes

[VAGAS LIMITADAS] Em 2018, Marcelo Vitorino realiza, em parceria com a ESPM-SP dois cursos focados em marketing eleitoral: Planejamento de Campanha Eleitoral (24/02) e Estratégias de Conteúdo para Comunicação Eleitoral (10/03). Inscreva-se!

Artigos Relacionados:

Marcelo Vitorino, a farsa do monitoramento Leia mais

05 de junho de 2018

Marcelo Vitorino

Marcelo Vitorino fala sobre o uso do monitoramento em redes sociais nos tempos atuais. E qual é o modo ideal para se utilizar de ferramentas de monitoramento.

O bom engajamento a um post ou vídeo pode ser alcançado seguindo 5 pontos estratégicos da comunicação política. Leia mais

29 de maio de 2018

Ana Eliza Oliveira

Informação, Entretenimento, Ideologia, Direção e Propósito são os cinco pontos estratégicos da comunicação política que você precisa colocar em prática.