Dicas de Marketing Político: seu sucesso passa por um mailing bem construído

Durante as eleições de 2018, como em todas as eleições anteriores, recebi dezenas de propostas de empresas obscuras vendendo todo tipo de mailing pronto, com milhares, algumas vezes milhões, de contatos de eleitores.

As ofertas foram das mais variadas, como 30 mil contatos de médicos, um milhão de e-mails de pessoas da Região Sul ou milhões de telefones com WhatsApp de todo o Estado de São Paulo.

Tenho certeza que quase todas as campanhas eleitorais do país receberam propostas parecidas.

A compra de mailings, seja de e-mails, endereços ou telefones celulares, pelas campanhas eleitorais é ilegal e pode gerar grande dor de cabeça para o candidato.

Além de ilegal, comprar mailing é uma alternativa burra, ineficiente. Um recurso geralmente utilizado por políticos que não conseguiram fazer a lição de casa e desenvolver boas estratégias de comunicação ao longo do mandato e do período pré-eleitoral.

Ninguém gosta de SPAM

Comprar mailing quase sempre é uma grande perda de tempo e dinheiro. As empresas que oferecem esse serviço dificilmente conseguem comprovar a origem e a veracidade dos milhares ou milhões de contatos que oferecem.

Muitas vezes são contas fake ou inativas, outros tantos contatos estão duplicados. Ao utilizar esse tipo de base de dados, seu e-mail ou número de WhatsApp será considerado um spammer.

Mesmo quando o contato existe de fato, utilizá-lo é um tiro no escuro. A pessoa geralmente não conhece o trabalho do político ou não possui afinidade partidária ou com os temas e bandeiras defendidas. E, convenhamos, ninguém gosta de receber SPAM, nem no e-mail e menos ainda no WhatsApp.

O resultado é quase sempre rejeição e antipatia. Antes, a pessoa não conhecia o político, após alguns contatos de SPAM, ela passou a não gostar dele.

Construa um bom mailing

Um bom mailing, atualizado e ampliado frequentemente com contatos que realmente conheçam os projetos e as bandeiras defendidas pelo político, é fundamental para o sucesso de todas as estratégias de comunicação da campanha eleitoral ou do mandato.

A distribuição do conteúdo, o combate às fake news e ataques de adversários, as estratégias de mobilização e também de big data, entre outras ações, partem sempre da estruturação de uma base de contatos.

Organize um mailing segmentado, que te possibilite ser mais assertivo e falar com as pessoas que realmente estão interessadas no assunto. Assim, você mandará informações sobre segurança pública ou esportes somente para quem tem interesse, aumentando o engajamento.

Existem inúmeras possibilidades de segmentação, como faixa etária, sexo, cidade/região, profissão, partido político, religião, interesses, entre tantas outras. Escolha a segmentação que mais se encaixa nos temas que trabalha.

Construir um bom mailing é um trabalho de longo prazo, com estratégias e ações que demandam tempo. Porém, o resultado sempre compensa. Listo abaixo algumas dicas.

Dicas para a construção de mailing list

1 – Inclua um formulário em seu site

Essa é a dica mais simples e mais básica. Todo político deve ter um formulário de cadastramento no site. Peça que o visitante se cadastre para receber novidades ou uma newsletter periódica.

Também faça campanhas nas redes sociais para que seus seguidores se inscrevam e acrescente o pedido em todos os textos que divulgar no site.

Você ainda não possui um site próprio? Então você precisa ler o artigo da Fernanda Camargos sobre canais próprios.

2 – Crie landing pages

As landing pages são páginas com um foco único: conversão.

Você pode usar uma landing page como isca, para captar contatos de pessoas com interesses específicos, alinhados às bandeiras e temas que trabalha.

Crie uma landing page temática. Sobre empreendedorismo, por exemplo. Na página, dê dicas sobre o tema e ofereça um e-book.

O usuário precisará se cadastrar para receber o e-book no e-mail e você terá uma lista de pessoas interessadas no tema que defende.

3 – Faça um abaixo assinado

Uma ótima forma de criar um mailing sobre um tema específico é realizar um abaixo assinado. Escolha um tema, como a implantação de uma escola no bairro, melhorias na iluminação pública, recapeamento das vias do bairro, entre outros.

Peça os contatos de todos que assinarem o abaixo assinado para posteriormente comunicar o andamento da demanda.

4 – Conversou? Peça o contato

Um político costuma participar de diversos eventos, palestras, debates, visitar regiões, igrejas, grupos políticos, etc. Em todos os casos, pegue o contato das pessoas que você se conversou.

Para isso, você pode ter uma ficha de cadastro simples, ou um assessor com um celular. O importante é criar o mailing.

Já possui um mailing estruturado e atualizado?

Então assista a palestra do consultor Fabrício Moser e saiba como utilizá-lo em estratégias de mobilização.

Gostou deste conteúdo? Assine nossa newsletter e fique por dentro de novos artigos sobre Marketing Político 

Avatar

Felipe Tonet

Flipboard

Jornalista, especializado em Gestão da Comunicação em Plataformas Digitais pela ESPM, é consultor e estrategista digital. Possui experiência em gestão de crises, construção de reputação digital e mobilização em mandatos políticos e campanhas eleitorais.

leia mais

Mais artigos do autor:

Crowdfunding eleitoral Leia mais

01 de julho de 2019

Avatar

O crowdfunding eleitoral surge como uma ferramenta interessante para a captação de recursos para as campanhas e a aproximação com o eleitorado.

Os mecanismos de pesquisa são fundamentais para a construção de reputação na internet. Leia mais

05 de abril de 2019

Avatar

Resultados positivos nas primeiras páginas dos mecanismos de busca são fundamentais para a construção da reputação digital de um político. Confira as dicas!

Artigos Relacionados:

Logos da rede social LinkedIn Leia mais

23 de setembro de 2019

Avatar

A comunicação política no LinkedIn ainda é pouco explorada no Brasil. A rede pode ser uma ótima ferramenta para políticos e administrações públicas.

Leia mais

18 de setembro de 2019

Tainã Gomes de Matos

Conteúdos políticos, inclusive as emendas parlamentares, precisam de "traduções" para garantir que a mensagem faça sentido para o eleitor. Saiba mais!