Marcelo Vitorino lança novo vídeo com tendências de mercado, exclusivo para alunos MasterClass

Especialista em marketing político divulga tendências no contexto brasileiro para as eleições de 2020 e 2022

Conteúdo exclusivo para alunos da escola de marketing digital Presença Online e do prof. Marcelo Vitorino, o vídeo traz cinco tendências para o mercado de marketing e comunicação política no contexto nacional.

A primeira tendência é a volta de discussão de pautas conservadoras no Congresso, que envolvem temas como legalização do aborto, descriminalização da maconha e casamento homoafetivo. Para Vitorino, essas discussões devem voltar à tona criando também a oposição ao conservadorismo. “Se há alguns anos as forças se baseavam na disputa ‘social’ e ‘liberal’, a tendência agora é ‘conservadorismo’ X ‘anticonservadorismo’”.

Outro ponto, trazido pelo especialista é o financiamento político-eleitoral.  Para ele o fundo eleitoral tende a diminuir e o movimento é a doação corporativa voltar para a discussão na próxima reforma eleitoral, com chances de ser aprovada diante de novas regras.

O aumento de uso de vídeos como forma de comunicação com os eleitores é destacado como a terceira tendência para os próximos pleitos. Nessa dimensão, Vitorino explica que é necessário não confundir espontaneidade com amadorismo. “O vídeo tem que parecer amador e isso exige um bom nível de profissionalismo na escolha de ângulo, câmera, iluminação”.

O quarto movimento é o marketing dando lugar à comunicação. Com a redução do tempo de campanha – o período eleitoral -, momento da implementação das estratégias de marketing, o mais recomendado é trabalhar a formatação da mensagem única durante o período que antecede a campanha. “Isso é comunicação, não é de uma hora para outra, é construído durante os anos anteriores”.

A última tendência é a da regionalização do discurso. “Quem vai vencer em 2020 ou 2022 vai ter criado além de uma mensagem única, uma mensagem regionalizada, segmentada”. Para Vitorino, confirmado o voto distrital, o Brasil terá menos candidatos pautados em segmento e mais candidatos pautados pela segmentação regional. “Alerto isso em todas as aulas. Fazer uma comunicação segmentada é produzir conteúdos diferentes para cada tipo de público”.

Como assistir ao vídeo “Tendências político-eleitorais para 2020 e 2022”

Se você é aluno da Presença Online e do prof. Marcelo Vitorino, você tem acesso ao grupo no Facebook, com participação exclusiva de alunos.

Se você ainda não faz parte, acesse a plataforma de cursos com seu login e senha. O link do grupo encontra-se na sua área de aluno.

Maíra Moraes

Maíra Moraes

Flipboard

Doutoranda em Comunicação e Sociedade na Universidade de Brasília (UnB), pesquisa as relações de poder implicadas no processo de produção de notícias e como as realidades são construídas por meio de narrativas e práticas dominantes. É gerente de projetos certificada PMP®, especializando-se na implementação de metodologias híbridas (presencial e a distância) de educação em redes públicas estaduais e municipais.

leia mais

Mais artigos do autor:

manual de boas práticas em mídias digitais rio de janeiro Leia mais

25 de janeiro de 2018

Maíra Moraes

Dentro de suas estratégias de e-gov, a coordenadoria de mídia digital da cidade do Rio de Janeiro desenvolveu o Manual de Boas Práticas e Recomendações em Mídias Digitais para uso de e-mail, redes sociais (Facebook), redes de microblog (Twitter), agregadores mult

Leia mais

29 de abril de 2018

Maíra Moraes

A internet tem empurrado as mudanças de regras nas eleições nos últimos anos. A principal novidade em 2018 é a possibilidade dos candidatos realizarem impulsionamento, isto é, investimento em anúncios nas redes sociais. Mas a regra tem levantado inúmeras dúvida

Artigos Relacionados:

Leia mais

26 de fevereiro de 2019

Maíra Moraes

Conheça Fábio Gomes, autor do livro "Comunicação Dialógica e Reputação Eleitoral" e convidado do Seminário Comunicação Política 2019.

Leia mais

03 de janeiro de 2019

Maíra Moraes

Marcelo Vitorino, especialista em marketing político divulga tendências no contexto brasileiro para as eleições de 2020 e 2022.