Qual é o segredo da comunicação política?

Quem trabalha com marketing político digital precisa entender que a conversa agora não é apenas sobre  internet. É sobre como se comunicar e estabelecer laços com cidadãos e eleitores. E quando falo de laços, estou falando sobre relacionamento, a base mais sólida de toda comunicação política.

Sempre recebo perguntas sobre o que determina se um conteúdo é bom ou ruim, se está adequado para o canal ou se a mensagem faz sentido em determinado contexto. É muito complicado analisar uma “amostra” de algo que deve ser baseado em uma estrutura macro que visa um objetivo maior.

Por isso, trago aqui algumas informações que considero importantes para quem deseja criar um conteúdo de fato relevante e que componha uma boa estratégia para a comunicação política.

O que é preciso para uma boa comunicação política

Uma boa comunicação política não trata somente de ter boas ideias e canais de comunicação. Não é necessário ter ideias geniais, nem ser um popstar das redes sociais.

É preciso estruturá-la como se ninguém estivesse prestando atenção nela. Até porque, ninguém está. Sabemos que as pessoas têm outras prioridades, como pagar as contas, levar filhos na escola, ir ao mercado, trabalhar ou estudar, e você precisa se inserir no contexto de vida delas.

Imagem de uma fábrica e seus funcionário ilustrando os processos da comunicação política

O importante é se dedicar mais ao processo, ao método, ao “como”. Provavelmente tudo que você pensar em fazer já foi feito em algum lugar, de alguma forma, por isso o “como” é tão importante.

É no “como fazer dar certo” que está a diferença entre o sucesso e o fracasso.

E isso você pode fazer, está ao seu alcance. A comunicação política é mais do que informar, é também imprimir o estilo de quem está comunicando, agregando juízo de valor e estabelecendo um vínculo de confiança com os públicos de interesse.

Elementos fundamentais da comunicação política

Não existe um certo e um errado quando falamos em comunicação política. Existe um processo constante de evolução, de testes, de estruturação e mensuração, que te levam a encontrar estratégias mais adequadas para cada necessidade.

Ressalto alguns pontos que necessitam de mais atenção neste processo:

1. Construção de narrativa política

É preciso criar uma linha de narrativa política que motive militantes e mobilize eleitores, algo que inspire pessoas a “investir” tempo e dedicação no projeto político e em uma campanha eleitoral. Nessa narrativa devem ficar claros os componentes ideológicos que norteiam a atuação e os valores morais que influenciam o político.

2. Domínio do tempo

O tempo é o ativo mais importante na comunicação política. Quem o usa melhor, sabendo dedicar esforços adequadamente, consegue melhores resultados. Primeiro imagine o cenário ideal que te levará aonde quer chegar. Depois, fragmente as condições para esse cenário e as coloque em uma linha do tempo. Ficará mais fácil acertar a estratégia dessa forma.

Imagem de um cronometro representando a importância do tempo na comunicação política

3. Ferramentas de redes sociais

A internet é o melhor meio de comunicação para falar com públicos de forma segmentada, mas poucos profissionais entendem isso bem e acabam desperdiçando todo o potencial que a rede tem. Para melhores resultados, é preciso conhecer muito bem o uso das redes sociais e de suas ferramentas paralelas. O básico hoje resume-se no uso de Facebook, Instagram, Twitter e WhatsApp, mas há muito mais.

4. Dinâmica por trás da comunicação

A comunicação política é mais do que informar, é também imprimir o estilo de quem está comunicando, agregando juízo de valor e estabelecendo um vínculo de confiança com os públicos de interesse.

Como levar as pessoas a prestarem atenção no que um político ou um governo tem a dizer? Como mensurar o êxito das ações? Como utilizar as ferramentas disponíveis para obter uma boa reputação?

Fazer uma campanha política vitoriosa não é dizer em quem o eleitor deve votar. É mostrar ao eleitor que encontrará o que procura no seu candidato.

Já houve momentos no passado em que eu fiquei em dúvida se conseguiria fazer isso. E haverá dias em que você também se sentirá assim. Quando esses dias chegarem, o que vai te salvar é a sua metodologia. Você não precisa ser um grande especialista em tudo para fazer um bom projeto. Você só precisa entender como funciona e se comprometer com o processo.

Comece esse processo expandindo seus conhecimentos, recomendo que conheça o Guia do Marketing Político, um clube de assinaturas similar ao Netflix, que oferece conteúdos diversos sobre marketing político.

Confira o vídeo em que falo um pouco mais do Guia:

 

Gostou deste conteúdo? Assine nossa newsletter e fique por dentro de novos artigos sobre Marketing Político ⬇⬇⬇

Marcelo Vitorino

Marcelo Vitorino

Flipboard

Professor na ESPM e consultor de comunicação e marketing digital, reúne experiência no marketing corporativo, eleitoral, institucional e político. Costumo enviar conteúdos de comunicação e marketing político por WhatsApp. Caso queira receber, basta adicionar o meu número (61) 99815-6161 na sua lista de contatos e me mandar uma primeira mensagem com seu nome.

leia mais

Mais artigos do autor:

imagem de uma pessoa utilizando um caderno e uma calculadora para representar a prestação de contas de uma campanha eleitoral Leia mais

14 de julho de 2012

Marcelo Vitorino

Candidatos recorrem ao bom e barato na hora de investir na comunicação digital. Campanha política na internet não é de graça

O Deus dos candidatos está morto Leia mais

01 de agosto de 2016

Marcelo Vitorino

Antes da reforma, campanha política era sinônimo de dinheiro e marketing. Candidatos estão perdidos e não entendem como atrairão eleitores sem o marqueteiro

Artigos Relacionados:

Leia mais

18 de setembro de 2019

Tainã Gomes de Matos

Conteúdos políticos, inclusive as emendas parlamentares, precisam de "traduções" para garantir que a mensagem faça sentido para o eleitor. Saiba mais!

Como agir na crise - Marcelo Vitorino Leia mais

09 de setembro de 2019

Avatar

Como lidar com a gestão de crises de fatos do passado e combater fake news utilizando a militância de seu candidato? Saiba mais!