Calendário eleitoral de 2022: de olho nas datas!

A largada para as eleições, finalmente, começou. No dia 2 de outubro, brasileiros irão às urnas para escolher presidente, governador, senador e deputados federais e estaduais. Até lá, candidatos e profissionais que irão participar de campanhas eleitorais, deverão ficar atentos às principais datas do calendário que regulamenta a corrida eleitoral.

Na disputa das eleições, a campanha eleitoral é apenas uma parte do processo. Uma campanha eficiente, séria e profissional deve ser pensada com planejamento e, sobretudo, antecedência, para que se crie uma narrativa consistente e consiga colocar em prática as ações estratégicas que levarão o candidato à eleição.

Por isso, o processo eleitoral se divide em 3 etapas: aquecimento, pré-campanha e campanha eleitoral, com normas que regulamentam desde ações de comunicação à registro de candidatura. E, a partir de janeiro, o calendário eleitoral, aprovado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), passa a fazer parte do planejamento de estratégias eleitorais majoritárias e proporcionais, seja para candidaturas de arrancada, reeleição ou retirada.

As principais datas e regras do calendário eleitoral para as eleições de 2022

1º de janeiro

A partir dessa data, pesquisas eleitorais precisam ser registradas no TSE até cinco dias antes da divulgação; fica proibida a distribuição gratuita de bens, valores ou benefícios por parte da administração pública, órgãos públicos também não podem realizar despesas com publicidade.

3 de março a 1º de abril

Período da janela de migração partidária com justa causa para deputados estaduais, distritais e federais.

30 de junho

É vedado às emissoras de rádio e de televisão transmitir programa apresentado ou comentado por pré-candidata ou pré-candidato.

5 de agosto

Último dia para a realização de convenções.

16 de agosto

Data a partir da qual será permitida a propaganda eleitoral, inclusive na internet.

29 de setembro

Último dia para a realização de debate no rádio e na televisão, admitida sua extensão até as 7h do dia 30 de setembro de 2022.

1° de outubro

Último dia para propaganda eleitoral do 1º turno.

2 de outubro

Dia da votação do 1º turno, das 8h às 17h, no horário de Brasília, em todo o país.

3 a 29 de outubro

Propaganda eleitoral em caso de segundo turno.

7 de outubro

Retomada da propaganda eleitoral gratuita do 2º turno em rádio e TV.

30 de outubro

Dia da votação do 2º turno, das 8h às 17h, no horário de Brasília, em todo o país.

 

Faça download do Calendário Eleitoral 2022 e planeje-se para as eleições!

Para que você possa se prepara de forma estratégica para a disputa das eleições, o Guia do Marketing Político trouxe, no Calendário Eleitoral 2022, além das datas mais importantes, dicas para profissionais e candidatos que deverão se planejar para a disputa eleitoral.

Faça download e prepare-se!

Nataly Maier

Nataly Maier

Jornalista, pós-graduanda em Comunicação Governamental e Marketing Político pelo Instituto Brasileiro de Ensino, Desenvolvimento e Pesquisa (IDP), de Brasília. Possui experiência como analista de mídias sociais e assessora de imprensa em mandatos e campanhas nas esferas municipal e federal.

leia mais

Mais artigos do autor:

Leia mais

10 de janeiro de 2022

Nataly Maier

Chegou o ano eleitoral. Candidatos e profissionais de marketing político deverão ficar atentos ao calendário eleitoral aprovado pelo TSE. Confira as datas!

Leia mais

11 de janeiro de 2022

Nataly Maier

Quando falar? O que falar? Saiba como utilizar o tempo disponível para sensibilizar, motivar e mobilizar o eleitor na campanha eleitoral.

Artigos Relacionados:

Fabiana Vitorino - Pré-candidatos podem impulsionar conteúdos em pré-campanha? Leia mais

15 de dezembro de 2021

Fabiana Sampaio

Candidatos precisam ter cuidado para não ter problemas com a legislação eleitoral ao fazer impulsionamento antes do período eleitoral

Tendências e bons usos do TikTok no marketing político Leia mais

09 de dezembro de 2021

Claudia Guimarães

Um artigo sobre tendências e bons usos do TikTok no marketing político, que vão além das famosas dancinhas e dublagens. Leia o artigo completo