Eleições 2020: Quando começa a pré-campanha?

Não é segredo nenhum que, desde 2016, partidos e candidatos vêm tentando compreender melhor o que é a pré-campanha e quais as melhores formas trabalhar questões políticas e eleitorais durante este período. Perguntas sobre como impactar o eleitorado nessa fase e pesquisa por boas práticas estão cada vez mais em alta, principalmente se pensarmos que falta menos de um ano para as eleições municipais de 2020 e que, para muitos,  é a primeira experiência de candidatos aos cargos de vereador e prefeito com o uso do período não eleitoral para falar de suas plataformas, emitir opiniões e até mesmo anunciar uma pré-candidatura.

O que é a pré-campanha

calendário para ilustrar o período da pré-campanhaBasicamente, a pré-campanha compreende o período não eleitoral, ou seja, tudo o que não compreende os 45 dias da campanha oficial. É saudável pensar assim? Depende!

Se você considerar que a memória do eleitor é curta e que ele, geralmente, decide seu voto na reta final das eleições, anunciar uma pré-candidatura muito longe do período eleitoral pode ser um verdadeiro tiro no pé. O que você pode fazer durante este período é trabalhar sua reputação e definir sua mensagem única.

Legislação e a pré-campanha

A lei das eleições foi criada em 1997, mas só em 2015, ano que antecedeu as últimas eleições municipais, as mudanças que tratam do assunto foram aprovadas durante a minirreforma eleitoral, que também reduziu o tempo das campanhas eleitorais, vetou as coligações proporcionais entre outras medidas.

Especificamente sobre a pré-campanha, especialistas consideram que as ações tomadas durante o período caem numa “zona cinza”, em que deve prevalecer o bom senso. Muitos pré-candidatos já estão tendo problemas por tentar dar um “jeitinho” e acabar pedindo votos em eventos.

“Não tente ser esperto e “camuflar” pedidos de votos, neste caso o que conta é a interpretação do juiz eleitoral. Por isso, siga as regras e foque no fortalecimento de seus canais e da sua mensagem”, aconselha o consultor e professor de marketing político Marcelo Vitorino.

Como todos os pontos de uma campanha eleitoral, a pré-campanha deve ser levada a sério, afinal, um deslize pode frustrar seus planos de concorrer ao cargo de vereador nas eleições de 2020.

Confira o  bate papo com o advogado eleitoral Gustavo Kanffer e saiba um pouco mais sobre  o assunto:

Gostou deste conteúdo? Confira nosso material sobre as mudanças para as eleições de 2020!
imagem do professor marcelo vitorino direcionando para sua lista de transmissão no whatsapp com conteúdos sobre pré-campanha e campanha de vereador

Avatar

Fernanda Camargos

Flipboard

Publicitária especializada em Marketing pela USP, atuou na gestão da comunicação digital de mais de 10 clientes dos mais diversos cargos eletivos. Atualmente trabalha com foco na área de análise de dados, construção de reputação digital e relacionamento com o eleitor.

leia mais

Mais artigos do autor:

foto do autor Felipe Tonet durante uma campanha política para ilustrar seu trabalho com crowdfunding em campanhas eleitorais Leia mais

30 de setembro de 2019

Avatar

A coluna "Por dentro do Marketing Político Hoje" entrevistou Felipe Tonet, que falou sobre a importância do crowdfunding para as eleições de 2020. Confira!

Combate à fake news e guerrilha Leia mais

09 de setembro de 2019

Avatar

Como lidar com a gestão de crises de fatos do passado e combater fake news utilizando a militância de seu candidato? Saiba mais!

Artigos Relacionados:

Materiais gratuitos de marketing político para download Leia mais

13 de maio de 2021

Natália Mateus Mendonça

Uma lista de e-books, livros, PDFs e outros materiais gratuitos sobre marketing político e comunicação eleitoral para você fazer download.

Leia mais

25 de março de 2021

Avatar

É, mas as chances são muito menores do que as de alguém que fez a lição de casa. Saiba como começar sua campanha.